Segundo levantamento da Associação Brasileira de Resíduos e Meio Ambiente (Abrema) feito em 2023, e tendo como base o Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), apenas 1,7% dos resíduos sólidos urbanos coletados em Goiás são reciclados. Em Goiânia, esse número sobe para 3,7%. Conforme dados também da SNIS, o Índice de Recuperação de Resíduos (IRR) nacional é de  2,2%, ainda bem longe da ambiciosa meta estipulada pela Política Nacional de Resíduos Sólidos, o Planares, que prevê que até 2040 quase 50% – 48,1% – do resíduos sólidos sejam reaproveitados.

Para se ter uma ideia do quão importante é a reciclagem de resíduos sólidos para o meio ambiente, segundo uma pesquisa da University of Central Oklahoma, só com a destinação correta de papéis e papelões ajudaria a reduzir a poluição do ar em até 73%. E é por esse e outros motivos que atitudes como da Localiza Urbanismo devem ser reverenciadas neste 05 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente. A empresa goiana mantém desde setembro do ano passado o programa de reciclagem Localiza Recicla, que dá a destinação adequada para seus próprios resíduos e também de seus colaboradores, que levam itens que são recicláveis.

Uma das principais ações do programa de reciclagem é a manutenção de um container, localizado na sede administrativa da empresa, no Jardim Europa, em Goiânia, para armazenar e segregar os resíduos sólidos do material reciclável. De acordo com a sócia-diretora da empresa, Bárbara Tavares, a iniciativa visa dar um destino correto aos materiais recicláveis. “Além de nos tornarmos um empreendimento mais sustentável, proporcionamos aos nossos colaboradores um local para a correta destinação dos recicláveis, e ao mesmo tempo, contribuímos com a fonte de renda de famílias que integram a cooperativa, para qual levamos tudo que é recolhido e separado aqui na empresa”, pontua.

A assistente de negociação Stephany Fernandes Santiago, é uma das colaboradoras da Localiza Urbanismo engajada no programa de reciclagem da empresa. Ela conta que o hábito de separar os materiais recicláveis começou a partir da iniciativa de seu filho, de 11 anos. “Ele trouxe esse aprendizado da escola, e eu e meu marido adotamos a prática na nossa rotina familiar”, revela. Segundo a funcionária, um pouco depois de sua entrada na empresa, há quase um ano, o programa Localiza Recicla foi implantado. “Para mim foi muito bom, porque devido ao atraso da coleta seletiva no meu bairro, o meu lixo reciclável sempre acumulava muito e, às vezes, eu tinha que descartar com o lixo comum”, diz Stephany, que a cada duas semanas leva de oito a 10 sacos de lixo reciclável para a empresa. 

Outra colaboradora que faz questão de deixar a sua contribuição é a auxiliar de serviços gerais Valdilene José de Oliveira Rodrigues. Trabalhando na Localiza Urbanismo há cinco anos, Valdilene desempenha um papel importante dentro do programa implantado pela empresa. Ela é a responsável por organizar diariamente a segregação dos itens. “Como o fluxo de colaboradores por aqui é alto, sempre tem alguém comendo uma bolacha, tomando um iogurte, e tudo isso resulta em materiais recicláveis”, relata. Ela conta que diariamente, quando vai recolher o lixo da empresa, faz uma varredura detalhada para separar o máximo de itens que poderão ser reciclados. 

“Para mim, que sempre gostei muito de reciclar, poder contar com um programa desse é muito satisfatório. Afinal, é um meio de auxiliar quem já é adepto a prática e incentivar quem ainda não tem esse hábito”, avalia Valdilene. Segundo ela, 90% do lixo gerado e coletado pela empresa são de resíduos recicláveis. 

Sobre o programa

O programa de reciclagem da Localiza Urbanismo foi iniciado em setembro de 2023,  com o objetivo de realizar o descarte adequado dos resíduos produzidos pela companhia. “Quando a empresa nos procurou, propomos um plano de ação ousado, de eliminar o que chamamos de ‘lixo’ e desviar do aterro sanitário de Goiânia o máximo de materiais possíveis. Foi então que iniciamos um Plano de Gerenciamento de Resíduos (PGRS), por meio do qual foram examinados o local, a geração e a destinação do lixo”, explica o consultor de sustentabilidade e fundador da Ciclo Trash, empresa responsável pela implantação do projeto, Marcus Vinicius Trindade Affonso.

A partir daí, segundo o consultor, foram propostas medidas para a diminuição da geração de lixo e o descarte em duas frações: recicláveis (secos) e orgânicos (itens úmidos e restos de alimentos). As coletas dos recicláveis e rejeitos são realizadas quinzenalmente pela Cooperativa Beija-Flor, que beneficia cerca de 20 famílias. 

Além da participação de uma cooperativa de materiais recicláveis, outro diferencial apontado por Marcus Vinícius é a tecnologia envolvida. “Os resíduos recicláveis gerados pela Localiza Urbanismo, ao serem coletados, alimentam um sistema operado pelos próprios cooperados, que fazem a rastreabilidade do material e geram um número de impacto positivo. Este relatório é usado pela Localiza como forma de engajamento com seus colaboradores, destacando o seu conjunto de práticas sustentáveis das agendas de Environmental, Social and Governance (ESG)”, enfatiza.

Desde a implantação do programa interno, que ainda não completou um ano, foram recolhidos e entregues para a reciclagem 1,4 toneladas de resíduos sólidos. “O impacto disso equivale à retirada de 2,67 toneladas de CO2 do ar, a preservação de quatro árvores que deixaram de ser cortadas, a economia de 14 milhões de litros de água e economia de 8.450 kw/h de energia, o que é suficientes para abastecer 56 casas num único dia”, detalha Marcus Affonso.

Feirão da MRV congela preços de imóveis até o dia 15 de junho

Artigo Anterior

Separamos para você